República Portuguesa | Saúde Portal do SNS
DPOC

DIA MUNDIAL DA DPOC

A equipa médica do Serviço de Pneumologia do Centro Hospitalar do Baixo Vouga, em colaboração com várias entidades, assinala o Dia Mundial da Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC), que se realiza hoje, 20 de Novembro de 2019, com o anúncio do lançamento de um livro, de leitura rápida e fácil, que esclarece os doentes e os seus familiares sobre as dúvidas mais frequentes que muitas vezes surgem sobre esta doença respiratória.

Este livro será distribuído gratuitamente aos doentes do Centro Hospitalar com o diagnóstico da doença durante os próximos meses, como complemento à informação transmitida pelos seus médicos assistentes, de modo a facilitar a compreensão sobre a DPOC, como se pode tratar e superar os desafios da doença. A maioria das pessoas que cumpre com o tratamento consegue viver bem com a DPOC!

Estima-se que a DPOC afecte pelo menos 700 mil Portugueses, estando muitas vezes associada ao tabagismo, mas também à poluição exterior e interior (por exemplo, fumo das lareiras) ou a exposição profissional, entre outras causas conhecidas. Os sintomas mais frequentes são a tosse, na maioria das vezes com expectoração, a falta de ar, o cansaço, podendo ter também pieira ou dor torácica.

A doença passa muitas vezes despercebida e o seu diagnóstico é tardio na maioria dos casos. Para isso, é fundamental que se realize uma Espirometria – uma prova funcional respiratória – de modo a comprovar a existência da doença.

O seu tratamento envolve vários tipos de intervenções desde a cessação tabágica, apoio nutricional, mudança de hábitos, tratamento inalatório (também conhecidas como “bombas” por muitos dos doentes), assim como a utilização de oxigénio, ventilação não invasiva e reabilitação respiratória.
O Serviço de Pneumologia do CHBV trata anualmente centenas de doentes com DPOC, na consulta externa e internamento, e criou também este ano um Hospital de Dia para pessoas com doenças respiratórias crónicas sob ventilação não invasiva. Para o futuro, está a desenvolver esforços no sentido de que a curto-médio prazo possa desenvolver telemedicina na área respiratória e melhorar o acesso dos doentes à Reabilitação Respiratória – que é fundamental.

CAPA