República Portuguesa | Saúde Portal do SNS
urgencia

O Serviço de Urgência do Centro Hospitalar do Baixo Vouga, como é conhecido atualmente, teve origem no Decreto-Lei nº 30/2011 de 2 de Março, com a fusão dos hospitais Infante D. Pedro, E.P.E., Visconde Salreu de Estarreja e Distrital de Águeda, na sequência de um processo de promoção e reestruturação com objetivo último da melhoria contínua da prestação de cuidados de saúde, garantindo à população qualidade, diversificação, universalização e aumento da eficácia dos serviços prestados.

O Serviço de Urgência acolhe diariamente utentes que precisam de ajuda na otimização do seu bem-estar. Num clima acolhedor, recetivo e profissional, proporciona-se um cuidar individualizado, fundamentado numa política interna de transparência e rigor científico.

Por se tratar de um Serviço de Urgência de valência Médico-Cirúrgica, tem ao dispor do utente um conjunto diferenciado de especialidades médicas que permitem uma elevada resolução definitiva de diversos problemas de saúde.

Com um sistema de triagem de Manchester (reconhecido internacionalmente), a avaliação e atuação médica e de enfermagem regem-se por prioridades de acordo com a gravidade de sinais e sintomas presentes no utente, desde a sua admissão. Acreditamos no valor vida de qualquer indivíduo e por isso, confie-nos a sua saúde.

 

LOCALIZAÇÃO

O Centro Hospitalar do Baixo Vouga disponibiliza dois serviços de urgência distintos. O serviço de urgência médico-cirurgico do Hospital Infante D. Pedro, localizado na Av. Artur Ravara em Aveiro e o serviço de urgência básica do Hospital Conde Sucena, sediado na Rua da Misericórdia em Águeda.

 

UNIDADE ASSISTENCIAL SEGUNDO LEGISLAÇÃO

O Serviço de Urgência do Hospital Infante D. Pedro corresponde a uma Urgência Médico-Cirúrgica, unidade principal, com capacidade para a receção, recuperação e estabilização de doentes críticos com subsequente internamento em unidade de agudos com maior ou menor diferenciação, bem como identificação de situações clínicas particulares que careçam de transferência para outras unidades hospitalares. O Serviço de Urgência do Hospital Conde Sucena corresponde a um atendimento permanente em modalidade de Urgência Básica, com capacidade para internamento ou, caso necessário, transferência para a unidade hospitalar principal.Estes dois serviços de urgência cumprem a legislação em vigor que distingue a tipologia de valências que deverão estar disponíveis para o utente (Portaria n.º 82/2014, de 10 de Abril de acordo com a Lei n.º 2011, de 2 de Abril de 1946 que se complementa com o Estatuto Hospitalar, aprovado pelo Decreto n.º 48357, de 27 de Abril de 1968).

 

MISSÃO

O Serviço de Urgência do Centro Hospitalar do Baixo Vouga, representado pela sua equipa, propõe-se a responder adequadamente e em tempo útil correspondente à gravidade da situação clínica.

A nossa missão prende-se com o diagnóstico rápido de condições agudas que comprometam a vida dos utentes, aplicando medidas céleres de reanimação e suporte de funções vitais entre outras terapêuticas emergentes.

A alta hospitalar do Serviço de Urgência não implica uma ausência de diagnóstico mas, uma exclusão de condições agudas graves, preparando-se um seguimento precoce para reconciliação e optimização terapêutica bem como realização de exames complementares de diagnóstico necessários, em correcta coordenação com os respectivos Médicos de Família.

 

FUNCIONAMENTO

Todo o utente que recorre a este serviço, após inscrição nos Serviços Administrativos de Admissão do Utente, será submetido à Triagem. Este ato é realizado por um Enfermeiro que possui formação específica em Triagem de Manchester. É um sistema de classificação das situações mais prioritárias (utilizado internacionalmente) nos serviços de urgência. Através de determinados sinais e sintomas que o utente apresenta no momento da triagem, é atribuída uma cor que corresponde a um grau de prioridade no atendimento médico. Esta cor determina um tempo de espera recomendado até à primeira observação médica.

Este sistema respeita um conjunto de protocolos, estipulados internacionalmente e acreditados pelas entidades do Ministério da Saúde, identificando assim os utentes mais graves e promovendo a estes, um rápido atendimento.

As cores poderão ser as seguintes:

cores-triagem

 

 

VMER – VIATURA MÉDICA DE EMERGÊNCIA E REANIMAÇÃO

Em funcionamento em simbiose com o Hospital Infante D. Pedro, existe uma das 44 Viaturas Médicas de Emergência e Reanimação (VMER – Aveiro), responsável pelo socorro médico diferenciado às áreas de influência do distrito de Aveiro, implementando cuidados de saúde emergentes e actuando de imediato sempre que a condição clínica assim o exigir.

Características da sua atuação:

  • Tripulação: Médico e Enfermeiro;
  • Formação/recertificação da equipa – Instituto Nacional de Emergência  Médica (INEM)
  • Accionamento desta viatura – meio exclusivamente orientado pelo Centro de Orientação de doentes Urgentes (CODU);

 

Directora de Serviço e Coordenadora Médica da VMER- Dra. Elsa Rocha 

Elsa.Rocha.11394@chbv.min-saude.pt

 

28

 

 

 

 

 

Enfermeiro Chefe e Coordenador de Enfermagem da VMER- Enf.º António Garrido 

Antonio.Garrido.12167@chbv.min-saude.pt

 

36

 

 

 

 

 

 

Administradora do Serviço –  Dr.ª Ana Craveiro

ana.craveiro.10158@chbv.min-saude.pt

EQUIPA MULTIDISCIPLINAR

No serviço de urgência trabalham diariamente, 24 sobre 24 horas, profissionais de saúde com formação diferenciada em diversas especialidades:

•Médicos especialistas: Cirurgia, Medicina Interna, Medicina Geral e Familiar, Ortopedia, Obstetrícia e Pediatria;

•Enfermeiros de cuidados gerais e enfermeiros especialistas nas áreas de Médico-cirúrgico, Reabilitação e Cuidados de saúde primários;

•Assistentes operacionais, muitos dos quais com formação diferenciada (Técnicos auxiliares de saúde);

•Administrativos;

 

Para além destes colaboradores, existem profissionais que apesar de não estarem presentes nas 24 horas, estão disponíveis de forma diária para que os cuidados diferenciados ao utente não sejam descurados:

•Médicos especialistas: Gastrenterologia, Neurologia e Oftalmologia;

•Técnicos Ação Social;

•Técnicos de Cardiopneumologia;

•Médicos Internos em formação (Internos de Formação Específica e Internos de Formação Geral).

 

RECOMENDAÇÕES PARA O UTENTE

  • Sempre que recorrer ao SU faça-se acompanhar do cartão de utente e resultados de exames recentes e importantes para a situação, bem como de uma cópia da lista atualizada da medicação;
  • Deverá entregar na Triagem a carta do médico que o encaminhou para este SU;
  • Evite trazer bens, valores, dinheiro ou objetos significativos para o SU;
  • Refira sempre, na observação pelo profissional, aspetos significativos da sua saúde (alergias, doenças crónicas, medicamentos que toma, etc.);
  • Deverá evitar o uso de telemóveis, recorrendo excecionalmente a curtas chamadas;
  • Recomenda-se que as crianças não devam entrar no SU, devido a focos permanentes de infeção;
  • O acompanhante deverá cuidar do seu utente, dentro do SU, auxiliando este nas refeições permitidas, nas deslocações ao WC, nos posicionamentos em maca e noutras situações solicitadas.

 

INFORMAÇÕES ÚTEIS

  • É expressamente proibido fumar dentro das instalações, tirar fotografias, realizar vídeos ou furtar qualquer tipo de material. O SU possui câmaras de vídeo e vigilância, assim como um serviço permanente de segurança;
  • O SU possui instalações e materiais adequados para prestar um bom serviço à comunidade. Todo o utilizador do SU deve estimar este serviço público;
  • Podem ser solicitadas informações sobre os utentes que se encontram no interior do SU, no Serviço Informativo, junto da admissão de utentes. Este serviço funciona diariamente das 09h00-13h00 e das 14h00- 22h00;
  • O utente tem direito a uma breve refeição se a sua situação o permitir, não podendo o acompanhante dar de comer nem beber sem que haja um conhecimento prévio do profissional de saúde (poderá atrasar ou agravar a situação clínica);
  • O SU possui no seu interior, uma Sala de Observação (SO), onde os utentes podem ficar internados num espaço curto de tempo. Neste SO não podem permanecer os acompanhantes, visto tratar-se de um internamento diferenciado. Contempla assim, visitas diárias das 12h00 às 12h30, uma visita de cada vez, controlada pelo Serviço Informativo, situado junto à admissão dos utentes no SU;

 

PERGUNTAS FREQUENTES

O QUE É UM SERVIÇO DE URGÊNCIA?

Serviço de saúde para tratamento de situações de urgência/emergência médica, ortopédica, cirúrgica e a utentes vindos do exterior, durante as 24 horas do dia.

QUEM PODE RECORRER A ESTE SERVIÇO?

Todo o cidadão é livre de recorrer a este serviço, mesmo que não pertença a esta área de residência.

QUANDO PODE RECORRER A ESTE SERVIÇO?

  • 24 Horas por dia;
  • Quando se encontrar em situação de:  – Emergência;  – Urgência ou outra situação que não poderá ser resolvida numa Instituição de saúde de cuidados primários (centro de saúde).

 

ACOMPANHAMENTO

Segundo a Lei nº 33/2009 publicada em Diário da República a 14/Julho/09:

  • O acompanhante tem direito a informação clínica se o utente autorizar;
  • O acompanhante deve respeitar e obedecer às regras do Serviço e se isso não ocorrer, o Serviço pode impedir a permanência deste, junto do utente.

Recomenda-se assim, que todo o utente e seu acompanhante respeitem as normas e regras do Serviço de Urgência para que este consiga promover um adequado atendimento.

 

ATENÇÃO: Todo o acompanhante é identificado com uma etiqueta na triagem; Deve-a colar em local visível e se trocar com outro acompanhante deve fazê-lo no exterior, dando conhecimento ao serviço informativo do Serviço de Urgência.

 

 

CONTATOS

GERAL: 234 378 300

INFORMAÇÕES: 234 378 301

SECRETARIADO: 234378318

 

SERVIÇO NACIONAL DE EMERGÊNCIA: 112

LINHA DE SAÚDE 24: 808 242 424

CENTRO DE INFORMAÇÃO ANTI VENENOS: 808 250 143