República Portuguesa | Saúde Portal do SNS
urologia2

A OMS considera os Cuidados Paliativos uma prioridade e define-os como “uma abordagem que visa melhorar a qualidade de vida dos doentes – e suas famílias – que enfrentam problemas decorrentes de uma doença incurável e/ou grave com prognóstico limitado, através da prevenção e alívio do sofrimento, com recurso à identificação precoce e ao tratamento rigoroso dos problemas não só físicos, como a dor, mas também dos psicossociais e espirituais”.

Os Cuidados Paliativos devem respeitar a dignidade, autonomia, vontade, individualidade e inviolabilidade da vida humana (Lei nº 52/2012: Base III).

“Ao cuidar de ti no momento final da tua vida,quero que sintas que me importo porque tu és tu,que me importo até ao último momento da tua vida e,faremos tudo o que estiver ao nosso alcance,não somente para te ajudar a morrer em paz,mas também para viveres até ao dia da tua morte.”

Cicely Saunders

Fundadora do movimento moderno dos Cuidados Paliativos

 

MISSÃO

A Equipa Prestadora de Cuidados Paliativos do Centro Hospitalar do Baixo Vouga (CHBV) iniciou funções, oficialmente, no ano 2017, contudo a prestação de cuidados de cariz de paliativo remonta ao ano de 2000, com a fundação da Unidade da Dor Crónica. Esta equipa tem como objetivo prestar cuidados de saúde rigorosos e humanizados a doentes em fase avançada de doença incurável, oncológicos e não oncológicos, em regime de ambulatório ou internamento, para os quais o prognóstico de vida é limitado. A ênfase dos cuidados centra-se na promoção do bem-estar e da qualidade de vida, através da prevenção e do controlo de sintomas, e na resposta às necessidades físicas, psicossociais e espirituais do doente e da família, desde o diagnóstico até ao luto.

paliativos_2020

 

VALORES

• Respeitar totalmente a inviolabilidade da vida humana, aceitando a morte como um processo natural, inevitável e não precipitado, pelo que não pretendem antecipá-la, provocá-la, através da eutanásia, ou atrasá-la, através de uma “obstinação terapêutica” desadequada.

• Considerar o outro como pessoa única e autónoma, respeitando a sua autodeterminação com vista à tomada de decisão, nomeadamente local de prestação de cuidados e opções terapêuticas.

• Salvaguardar e promover a dignidade humana nas suas diferentes esferas e sobretudo nas situações de maior fragilidade, protegendo aqueles que têm menor poder de exigir, promovendo a sua capacidade de decisão.

• Manter uma relação colaborativa entre os profissionais de saúde e o doente/família pois estes são a unidade alvo de assistência.

• Prestar cuidados de saúde numa base verdadeiramente interdisciplinar, em equipa bem coordenada, formada e treinada que permita a realização de um plano de tratamento que seja ajustado às necessidades do doente e família.

 

OBJETIVOS

• Avaliar e controlar o sofrimento físico, psicológico, social e espiritual em conjunto com o doente e família através de cuidados contínuos, com respeito pelos seus desejos, objetivos e preferências.

• Prestar cuidados que promovam um modelo centrado no doente e família, através de uma equipa interdisciplinar, em que a liderança e comunicação são elementos-chave para o funcionamento da mesma.

• Contribuir para a humanização dos cuidados de saúde em geral, recorrendo a medidas terapêuticas que visam o conforto evitando a “obstinação terapêutica”, ou seja, a utilização de medidas agressivas, inúteis e desadequadas.

• Preparar o doente e a família durante o processo de doença e morte, promovendo oportunidades de crescimento pessoal e apoio no luto luto (incluindo luto antecipatório).

• Desenvolver programas de formação para os profissionais de saúde do CHBV e alargar a outros profissionais ligados aos cuidados de saúde primários ou a outras instituições.

• Proporcionar estágios na área de Cuidados Paliativos.

 

DESTINATÁRIOS 

São destinatários dos CP os doentes adultos com diagnóstico de doença crónica, avançada e irreversível, com expectativa de vida limitada que implique sofrimento intenso, internados em qualquer serviço do CHBV ou referenciados de outra instituição de saúde, pública ou privada. São, também, destinatários os doentes que apresentem problemas e necessidades de difícil resolução que exigem apoio específico, organizado e interdisciplinar.

 

VALÊNCIAS

Unidade de Cuidados Paliativos (UCP): Unidade de Estarreja do CHBV- Hospital Visconde de Salreu. Horário: 24 horas de 2ª Feira a Domingo

Equipa Intra-Hospitalar de Suporte em Cuidados Paliativos (EIHSCP): Unidade de Aveiro do CHBV – Hospital Infante D. Pedro, 5ª andar do Bloco 7. Horário: Segunda a sexta-feira das 8 horas às 15 horas.

• Consulta Externa de Cuidados Paliativos (CE)

• Hospital de Dia de CP (HDCP)

• Consulta de Psicologia em Cuidados Paliativos (Consulte aqui para mais informações)

 

REFERENCIAÇÃO 

Porquê?

• Promove a qualidade de vida dos doentes.

• Permite um acompanhamento mais personalizado, diminuindo a possibilidade de depressão associada ao processo de doença avançada.

• Promove uma melhor utilização dos recursos de saúde, com aumento da eficiência e redução de gastos indevidos.

• Aumenta a participação dos doentes nas decisões sobre a sua doença e nos tratamentos que pretendem receber.

• Reduz a possibilidade de lutos patológicos.

Quem referencia?

• O médico de qualquer especialidade que acompanhe o doente no CHBV

• O Médico de Família utilizando o sistema Alert P1

• O Médico de qualquer instituição privada de saúde através de requerimento – Portaria 95/2013, de 4 de março

Coordenadora da Equipa Prestadora de Cuidados Paliativos

Dra. Beatriz Silva11177

 

 

 

 

 

Enfermeira Gestora da Unidade de Cuidados Paliativos

Enf.ª Adília CostaAdilia Costa - 30021

 

 

 

 

 

 

Enfermeira Gestora da EIHSCP12137

Enf.ª Graciete Marques

EQUIPA MULTIDISCIPLINAR

UCP

Gestora de Área:

Carla Costa

 

Médica responsável pela organização e coordenação:

Beatriz Silva

 

Equipa Médica:

Marisol Nogueira

Inês Costa

Sofia Madanelo

Psicólogo:

Luís Miguel Cruz Andrade Simões

 

Técnica Superior de Serviço Social:

Ana Jorge Martins

 

Assistente Espiritual:

Padre Joaquim Martins

Enfermeira Gestora:

Adília Costa

 

Equipa de Enfermagem:

Miguel Filipe Almeida Ribeiro (Especialista)

Sónia Patrícia Vieira Morgado (Especialista)

Carla Sofia Rocha Pinho (Especialista)

Sílvia Rodrigues Lima (Especialista)

Custódio Sérgio Cunha Soares (Especialista)

Vera Lúcia Silva Carvalho (Especialista)

Patrícia Garcia Oliveira Pinho

Ângela Maria Silva Henriques

Maria João Marques Mateus

Elisabete Bastos Almeida

Natércia Olinda Gomes Branco Pereira

Ana Paula Marques da Silva Pires

Ana Sofia Silva Seixas

Patrícia Cristina Ferreira Leite

 

Equipa de Assistentes Operacionais:

Maria Assunção Marques Silva Carvalho

Maria José Silva Salgado Abranches

Florbela Maria M. S. Carmo Mortágua

Florinda Rosa Gomes Almeida Pastor

Ana Paula Pedrinha Cunha Azevedo

Francisco Manuel Ferreira Oliveira

Carla Alexandra Ferreira Sá Caetano

 

Assistente Técnica:

Ana Ferreira

 

Nutricionista:

Marília Ferreira

Daniela Antunes

Fisioterapeuta:

Luís Albuquerque

Mª José Afonso

 

Enfermeiro de Reabilitação:

Juan Carlos Ferreira Marta (Especialista)

 

Voluntários da Liga de Amigos do Hospital Visconde Salreu

 

EIHSCP

Gestora de Área:

Carla Costa

 

Médica responsável pela organização e coordenação:

Beatriz Silva

 

Equipa Médica:

Marisol Nogueira

Inês Costa

 

Psicólogo:

Luís Miguel Cruz Andrade Simões

 

Técnica Superior de Serviço Social:

Ana Jorge Martins

 

Enfermeira Gestora:

Graciete Marques

 

Equipa de Enfermagem:

Tânia Oliveira

Ana Luísa Graça

UCP

Número Móvel: 930421181

 

EIHSCP

Número Móvel: 968123392

Endereço de Email: eihscp@chbv.min-saude.pt